Escrever a mão, II

Um dos trabalhos realizados na oficina do dia 8 de abril requereu uma versão em vídeo. Penso que a relevância desse trabalho, composto pelo Claudio Santos, está em instituir, através da linguagem, a circulação pública do prazer do corpo, ou seja, estabelecer, num ato de linguagem, que o corpo, em suas relações públicas, guarda as marcas íntimas do prazer, e que isso não precisa ser silenciado. No caso de ter sido produzido por um jovem, como o foi, trata-se, portanto, esse trabalho, de um empreendimento de saúde.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s