Efeito-Brasília

sétimo encontro_cartão postal frente e verso

Clique no cartão-postal para lê-lo.

Assim como se diz que se nutre um amor platônico ao se amar a ideia da coisa, pode-se muito bem falar de um amor derridiano ao se amar um centro que não é um centro, como Brasília. E foi de lá que enviei um cartão-postal para os meus alunos (leitores de Brás Cubas) que só chegou ao destino muito depois de eu já ter retornado da cidade, hoje, quando se completam os dez anos da morte de Jacques Derrida, o pensamento que me levou até ao símbolo da arte construtiva no Brasil. O cartão-postal, que é um ensaio, é uma performance. A carta chega sempre atrasada. Mas esteve presente hoje, nas aulas, trazendo a mensagem de um fantasma que há uns dez dias a escreveu a centenas de quilômetros daqui e soube amar sílabas de m-a-r na cidade plana e seca onde o nariz sangra.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s